dcsimg Parasitas Intestinais - Parasitas e Zoonoses - Cães - Bayer Pet
Bayer Pet - Tudo sobre Cães

Tudo sobre Cães

Parasitas Intestinais

Os vermes intestinais, quando adultos, instalam-se no aparelho digestivo e trazem riscos para a saúde dos nossos amigos de estimação e toda a família. Os cães podem constantemente adquirir vermes intestinais de diversas maneiras:

  • Ingestão de ovos e larvas presentes no ambiente;
  • Penetração de larvas na pele do animal;
  • Ingestão de hospedeiros intermediários (pulgas e piolhos);
  • Ingestão de hospedeiros paratênicos (ex. roedores);
  • Transmissão da mãe para os filhotes na gestação ou amamentação.

Existem dois grandes grupos de vermes intestinais, os “redondos” (nematóides) e “chatos” (cestóides).

Os vermes redondos têm formato cilíndrico, não têm divisões, sua pele é firme e elástica. As espécies mais comuns são o Ancylostoma spp e o Toxocara spp.

Ciclo de Vida do Ancylostoma spp Assista ao vídeo e entenda como acontece a transmissão do verme Ancylostoma spp Assista ao vídeo e entenda como acontece a transmissão do verme Ancylostoma spp
Ciclo de Vida do Toxocara canis Assista ao vídeo e entenda como acontece a transmissão do verme Toxocara canis Assista ao vídeo e entenda como acontece a transmissão do verme Toxocara canis

Os vermes chatos (ou tênias), como o nome já diz, são achatados e têm aparência de uma fita com várias divisões. São transmitidos pela ingestão de um hospedeiro intermediário que podem ser pulgas, roedores ou carne crua.

As espécies mais comuns são o Dipylidium caninum, que tem como principal hospedeiro intermediário a pulga, que é acidentalmente ingerido pelo animal ao se coçar ou lamber e as Tênias, adquiridas pela ingestão de roedores ou carne crua (Ex: bovinos, ovinos e suínos).

Ciclo de Vida do Dypilidium caninum Assista ao vídeo e entenda como acontece a transmissão da Dipylidum caninum Assista ao vídeo e entenda como acontece a transmissão da Dipylidum caninum
Ciclo de Vida do Echinococcus multilocularos Assista ao vídeo e entenda como acontece a transmissão do Echinococcus multilocularis Assista ao vídeo e entenda como acontece a transmissão do Echinococcus multilocularis
Parasita Giárdia

A Giárdia é um protozoário microscópico que coloniza o intestino. Sua transmissão ocorre através da ingestão de cistos de Giárdia presentes em alimentos ou água contaminados. Sobrevivem por longos períodos e são resistentes à maioria dos desinfetantes comuns.

Ciclo de Vida da Giárdia Assista ao vídeo e entenda como acontece a transmissão da giárdia Assista ao vídeo e entenda como acontece a transmissão da giárdia

Os vermes são um risco para a saúde do pet e da família. Nos animais podem trazer muitos prejuízos, como por exemplo diarreia, vômitos, perda de peso, perda de apetite e alguns vermes, podem até causar anemia, pois se alimentam de sangue.

Em humanos duas zoonoses verminóticas bastante comuns são o “Bicho Geográfico”, causado pelo Ancylostoma spp. e a Larva Migrans Visceral, transmitida pelo Toxocara spp.

A Giardíase, também é uma zoonose, podendo causar flatulência, dores abdominais e diarreia em humanos.

O diagnóstico de verminoses sempre deve ser feito por exames laboratoriais de fezes, por isso, quando houver uma suspeita, consulte sempre um Médico Veterinário.

Para os animais

A Bayer possui uma linha completa de vermífugos com apresentações adequadas para a necessidade de cada animal. A linha Drontal® possui comprimidos com um amplo espectro e o Advocate® é um produto SpotOn®, aplicado no dorso do cão, com ação nos vermes redondos e nas pulgas.

É importante vermifugar o pet com frequência para preveni-lo contra infestações. A frequência de tratamentos varia com a região que você está, com base na prevalência dos parasitas e orientação do Veterinário.

De maneira preventiva, um aumento na frequência de tratamentos diminui a ocorrência de infestação. A vermifugação a cada 3 meses com Drontal® é indicada. Uma excelente opção é o uso mensal de Advocate®, que elimina estágios adultos e larvais de nematóides e pulgas.

Para o ambiente

Como a maioria dos vermes tem parte de seu ciclo no ambiente, são imprescindíveis medidas que controlem a infestação ambiental para diminuir os riscos de novas contaminações por vermes. Para isso algumas medidas são fundamentais:

  • Sempre recolha as fezes dos cães durante os passeios;
  • Antes de lavar o ambiente, recolha as fezes do animal para não espalha-las e aumentar a contaminação ambiental;
  • Use produtos indicados para o controle destes parasitas, como amônia quaternária ou água sanitária;
  • Higienize comedouros e bebedouros diariamente;
  • Faça uso de antipulgas regularmente, pois as pulgas podem transmitir o verme Dipylidium caninum;
  • Não alimente seu pet com carne crua.

Procure um Médico Veterinário para orienta-lo adequadamente.

L.BR.AH.2013-08-19.0257

"Meus animais não saem de casa e são muito limpos, não podem ter vermes."

Ambientes devidamente limpos e animais corretamente alimentados têm menos chance de ter vermes intestinais. No entanto, parasitas internos têm várias maneiras de chegar até o nosso amigo. Consulte regularmente um Médico Veterinário.

"Meus animais só comem ração, por isso estão protegidos contra os vermes."

Alguns vermes são transmitidos pela carne crua, então certamente uma ração de boa qualidade ajuda na nutrição e diminui o risco do pet adquirir vermes, o entanto mas não o livra de pegar outras espécies de vermes intestinais do ambiente. Ideal é um programa de proteção e prevenção com orientação do Médico Veterinário.

"Meus animais comem terra, fezes e outras coisas, será que estão com vermes?"

Somente um médico veterinário poderá identificar corretamente. Esse comportamento (depravação de apetite) pode ser causado por vermes, mas também pode ser indicação de alterações de comportamento ou deficiência nutricional. O Médico Veterinário, examinando e detectando a causa, poderá passar o tratamento adequado.

Confirme seu voto abaixo: